::"Pra ser sincero...::

... não espero de você, mais do que educação. Beijos sem paixão, crimes sem castigos, apertos de mão... apenas bons amigos..." Quando o poeta descreveu seus verso em um guardanapo sujo com uma esferográfica já quase sem tinta e com a tampa roida por dentes sujos de cigarro e alguma bebida alcólica, certamente ele não pensou que tudo aquilo faria um sentido além daquela noite fétida e só, mas fez.

Fez um enorme sentido para um pai de três filhas, casado, contador (de contas, contos, histórias e mentiras vãs), apaixonado por cães, cheios de sonhos, com várias dívidas, bons amigos e alguns trocados no bolso de uma calça surrada. Eu não esperava nada além de uma noite simples, num coquetel de lançamento de um carro francês, onde um amigo fora convidado e chamou ao meu pai e a mim para tomarmos umas cervejas por conta da marca, falarmos besteira, observarmos as belas modelos e, com um pouco de sorte, fazermos um test-drive em meio a tantos pretendentes à compradores.

Tudo correndo conforme combinado, nada demais para ser ressaltado (nem mesmo o carro em lançamento que já conheciamos por meio de fotos e revistas) e algumas fotos. No telefone chega uma mensagem, logo depois de uma ligação e minhas mãos tremem, dobro as maçãs do rosto e começo a suar frio. Não, não é nenhuma mensagem ruim, muito pelo contrário. Meu pai me olha curioso enquanto desligo o telefone. Oras... ele é meu pai! Se seu filho está triste ou feliz, pais logo percebem! Ele sabia que aquela ligação traria algo novo. Meu amigo continuou a falar, sem interromper seu assunto.

Em outra postagem já descrevi minha relação levemente tumultuada com meu pai. Vivo com ele na empresa mais tempo do que passo com minhas filhas em casa e temos nossos desentendimentos. Ultimamente a coisa andou bem pois vivi intensamente cada segundo do meu tempo para o trabalho e isso o deixou feliz pois era notório que meu tempo não estava voltado para as "porcarias de carros", "a porra desses blogs" e nem para as "merdas de Facebook e Twitter". Realmente, eu vacilava feio.

Acessando apenas durante a noite para postar matérias, organizar textos, redigir algumas linhas e só após colocar as pequenas para dormir é que consegui organizar meu tempo. Estava exausto, mas me comprometi com o blog e com o Jalopnik, então, eu que me virasse para conseguir honrar meus compromissos. Meu corpo sentia o cansaço e minha mente por vezes travava em algumas partes do texto, então o jeito era descansar e deixar algumas matérias/textos serem acumulados por mais um dia ou dois. Ainda assim, o prazer era imenso em produzir mais algumas linhas.

Assim me comprometi em 2012: trabalho árduo 24H por dia para o escritório e para minha família (a ordem depende da necessidade), amigos e só depois carros e blog. Criar dias de cores específicas foi uma alternativa fácil de manter o blog atualizado, afinal, é e sempre foi meu refúgio escrever algo.

Voltando à concessionária... meu amigo falava sem interromper o assunto. Quando por fim aquele assunto acabou, olhei no fundo dos olhos do meu pai e disse: Tenho uma boa e uma não-tão-boa notícia. Acabaram de confirmar meus textos em uma das melhores revistas de preparação do país.



Eu já não esperava uma boa reação do meu pai. Meu amigo logo me abraçou e comemorou com um sonoro "Parabéns seu filho da puta!" e todos dos salão olharam. Meu pai encheu os olhos de lágrimas, mas segurou. Eu não sabia se aquilo era uma reação de apoio ou desprezo e fiquei atônito até que ele balbuciasse algumas palavras. Alí, naqueles dois segundos, senti como se fossem dois anos. Foi então que meu pai me abraçou e fungou devolta a lágrima que iria escorrer. Ví que se tratava de orgulho, de saber que seu filho estava se realizando, que a minha felicidade o estava empolgando e que todos os passos que ele me ensinou a dar estavam surtindo efeito.

Ele sabia que eu não iria deixar o escritório, mas tinha medo de que isso voltasse a atrapalhar meu rendimento no trabalho. Ele foi "sincero como não se pode ser" em público e alí mesmo, nós três, demos gargalhadas de todo o contexto e me abraçou como quem dissesse em silêncio: Parabéns meu filho. Há essa hora, o lançamento do carro já não era o mais importante, nem as belas modelos que passeavam pelo salão distribuindo sorrisos, ou mesmo a boca-livre oferecida. Eu estava em sintonia com meu pai. Ele sabia que eu não iria vacilar e eu sabia que não poderia, não mais uma vez. Compromissos re-afirmados com uma troca de olhar, mais um abraço apertado e choros engolidos.

Pra ser sincero, eu nunca ví meu pai chorar. Pra ser sincero, eu nunca ví ele me beijar sem ser por amor. Pra ser sincero, eu nunca o ví me negar a mão. Pra ser sincero, eu nunca esperei nada dele que não fosse melhor do que um ótimo exemplo, um abraço apertado, um sorriso sincero e broncas que me tornaram um homem de verdade.

Naquele dia, ao chegar em casa e beijar minhas pequenas já dormindo e sentar para escrever mais uma postagem,eu chorei de felicidade em silêncio por mais um passo dado em busca de uma realização. Mas homem não chora... então QUE SE FODA!!! Pra ser sincero, eu não esperava nada demais naquela noite...

Abraços!

18 Acelera!!!:

  1. É meu amigo certas coisas fazem realmente diferença em nossas vidas, amizade a família são algumas delas, quando se alia isso a realizações pessoais nem tem o que falar
    Parabéns por mais essa.

    ResponderExcluir
  2. parabens seu viado, tudo de bom pra voce seu inutil hehe Abracos

    ResponderExcluir
  3. Cara, parabéns.. fico feliz por isso pois acompanho seu blog a muito tempo! Parabéns.. quando puder revelar a revista.. fale pra gente.. abraçooo!

    ResponderExcluir
  4. Rapaz...seus textos são dignos de qualquer veiculo de comunicação...sua espontaneidade é marca que não cria...tem ou não tem...parabens!!!

    ResponderExcluir
  5. Mais uma conquista, mais um belo momento como entusiasta.

    O devido reconhecimento que veio com o tempo. Você só tem a crescer, Rafa!

    Parabéns! Isso é resultado do que vc acredita, e do que sempre nos apresentou aqui no Blog, e mais recentemente no Jalopnik: amizade e comprometimento. O resto é consequencia!

    Curta esse momento!


    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Juliano Henrique23 de maio de 2012 21:05

    Rafa , parabéns !
    SO FALTA DIZER QUAL É A REVISTA PORRA !

    ResponderExcluir
  7. Guilherme Demetrio23 de maio de 2012 23:01

    Parabens cara, acompanho o blog há muito tempo, reconhecimento mais que merecido!

    ResponderExcluir
  8. Irmão....ORGULHO de vc..! Amoleu até o veio! kkk e com relação à revista, finalmente esses fdp te dando o valor que cabe! \o/

    ResponderExcluir
  9. Pra ser sincero... seus textos são foda! E se isto aconteceu na sua vida é mérito seu! Poucas pessoas tem o dom de escrever assim... de forma a prender a pessoa... a maioria dos textos automotivos se resume a uma descrição do carro... as suas não são histórias, contos, devaneios... enfim parabéns ai meu irmão sucesso! E bora curar o "cancer" da Gorete para ela estar nas pistas brilhando como seus textos abraço man!

    ResponderExcluir
  10. Parabéns! É muito gratificante alcançar objetivos (que por vezes talvez nem o fossem encarados como objetivos ) e ter reconhecimento de um trabalho. Neste texto e em tudo que aprendi na minha própria vida percebo o quanto importante é a família nas nossas vidas !!! Sucesso sempre !!!

    ResponderExcluir
  11. Obrigado a todos! De coração, obrigado mesmo!
    =')

    ResponderExcluir
  12. Acompanho o Blog a um booom tempo mas nunca comentei ( não tenho o dom da escrita!rs , mas hoje eu tenho que comentar! Você merece cara! PARABÉNS DE VERDADE! Na minha vida tenho derrotas e vitórias como você e tenho uma relação com meu pai bem parecida com a sua. Eu passei em um grande concurso esse mês (meu pai sempre foi contra eu fazer concursos pq achava q era tudo armação) e poucas vezes fiquei tão feliz quanto quando escutei ele falando: "o cara provou que é bom, conseguiu!". Entendo sua felicidade e te afirmo: você merece ainda mais!

    ResponderExcluir
  13. Rafa,

    Sei que tu não faz idéia de quem eu seja assim como só te conheço devido ao blog, mas temos algo além do nome em comum. Me identifiquei demais com o texto e a tua história porque a minha relação com o meu pai é bem parecida. Não trabalho com o meu pai muito menos convivo com ele porque saí cedo de casa. Nunca tive o apoio dele quando escolhi minha profissão (desde os dois anos de idade), mas este ano, dia 1 de abril (não é mentira hehehe) pude realizar um sonho que tinha. Tive a honra de ter meu pai comigo no meu ambiente de trabalho e fiz tudo de surpresa. Sou piloto de avião e ele médico, um mais turrão que o outro, ambos amantes de carros e levar alguém que amo tanto comigo foi uma honra. Mas assim como aconteceu contigo, o sorriso tímido, a lágrima contida e o olhar de orgulho estamparam naquele rosto e por instantes enxerguei um coração de pedra amolecer. Acordar no dia seguinte e receber uma mensagem dizendo que poucas vezes havia se sentido tão feliz na vida é o reconhecimento de todo esforço e sacrifício que fazemos para agradar esse que nos é exemplo. Te parabenizo aqui pela conquista, pela realização de um sonho e por compartilhar disso com todos nós leitores desse blog.

    Parabéns e sucesso nessa nova empreitada!

    Um abraço…

    Rafael®

    ResponderExcluir
  14. Parabens ae, abraço!

    Att

    Ronaldo SCCP

    ResponderExcluir
  15. Parabéns Rafa!

    Tenho acompanhado teu Blog quando posso e cada vez que entro fico me punindo por não ter entrado antes!
    Como já comentaram tua espontaneidade surpreende! A qualidade com que redige os textos empolga!
    Essa tua maneira de escrever faz prender minha atenção, parece que estou conversando com alguém que conheço e admiro muito!

    Não tenho dúvidas que será um sucesso nessa publicação, seja ela qual for, avisa a gente, assim podemos comprar mais exemplares...

    Espero que continue
    "Voando sem instrumentos
    Ao sabor do vento"

    E quanto a Gorete, tu não vei até aqui pra desistir agora, no que depender de ti, sei que irá até o fim.

    P.S.: Tenho paixão pelo Engenheiros...

    Abraço

    ResponderExcluir